terça-feira, 18 de agosto de 2015

O não-valente



A dor que me infliges
Não sou eu quem a sente
És tu 
Na tua mente
És tu
No teu inconsciente

O grito que sufocas
Não sou eu quem o ensurdece
És tu
Na solidão
És tu 
Quando te desencorajas
A seres maior
A seres valente

A fúria que carregas
Não sou quem a expurgará
Serás tu
Voluntariamente
Serás tu
Quando fores grande
Serás tu
Quando fores
Gente



1 comentário:

  1. Os não-valentes são sempre pequenos e têm pouco de gente. Gosto muito, da foto também.

    ResponderEliminar