quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

O pó



O pó.
O bago.
O grão.

Que lamento.
Que alegria.
Que exultação.

O pó.
Morreu cedo.
Nunca gritou.

O bago.
Criou-se firme.
Esperançou.

O grão.
Forte.
Seguro.
Nasceu da benção.
E se criou.
Deus pôs-lhe a mão.
O semeou.
O homem cultiva.
O homem o amou.
O grão nasceu.
Foi o único.
Que vingou.



Sem comentários:

Enviar um comentário