quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Aquele que não queria




Nas delongas das noites,
Em que te beijei as faces do bem,
Julgava-te um homem completo,
De carácter aprumado,
Julguei que fosses alguém.

Cantava as horas dos dias,

De pescoço quebrado sorrindo,
De queixo, mãos, a tremer,
Embevecida pela tua pessoa,
Ceguei! Não vi quem devia ver.

Ao raiar de cada manhã,

Impelida pelo amor que te tinha,
Rodeava-te a cama, a vida,
Exigia-te o que não ousavas dar,
Não vi a harmonia perdida.

As ilusões dos sonhos projectados,
Na névoa dos pensamentos vividos,
Fantasiava um romance perfeito,
Tão distante do que sentias no peito,
Tão longe do que eu havia querido.


Reli a nossa história e percebi:
Os teus sentimentos nunca foram sentidos.


Sem comentários:

Enviar um comentário