quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Amar viver triste

HMB |  Peito


Há algo de perturbador em querer voltar a sofrer a ausência de amor.
De me sentir avassalada pela falta de amor.
A tristeza em que me sentia mergulhada quando dormia e acordava na solidão, quando caminhava e falava no vazio, era uma parte de mim muito maior que a minha própria existência.
Ser triste ultrapassava-me.
Ultrapassa-me.
Sinto falta dessa ausência de dor.
Que digo?
Fará sentido isto para a restante humanidade?
Querer voltar a sentir os pulsos a quebrarem-se quando se lutou a maior parte do tempo por ter alguém que os fortalecesse?

A dor de gostar não ter amor é viciosa.

Sem comentários:

Enviar um comentário