terça-feira, 29 de março de 2011

Elogio à amizade




Uma espécie de amor à primeira vista. Daqueles que não se entendem bem. Daqueles que se escondem timidamente até se perceber que é para sempre. Daqueles que nunca se derrubam, nem põem em dúvida, porque a confiança é cega. Porque tu, minha querida amiga, me havias de fazer caminhar de olhos fechados, guiada apenas pela tua voz, sem que eu temesse a insegurança. Porque a tua voz doce me inspira verdade e certeza. Porque os caminhos percorridos ao teu lado sempre foram abençoados pelas tuas mãos genuinamente puras. Sem luvas. Sem maldade. Puras. Como tu. Por isso soube, desde que te vi, que este caminho não iria ser sinuoso nem ludibriante. Porque tu tens a verdade na alma e amas com o coração. Se dúvidas houvessem, os meus sonhos haveriam de me recordar o quanto me serviste de ombro nas horas em que a aflição me caía pelo rosto. Das vezes que me salvaste dos momentos em que eu não sabia quem era... que me achava indigna de existir entre os humanos. Foste tu que, com o teu admirável cepticismo, me aliviaste a pressão de me sentir diferente. Hoje, já me olho no espelho e vejo um reflexo porque tu abriste o peito ao desconhecido e emanaste a virtude ausente da condição terrena: não teceste juízos.
Só me posso vergar à tua sensatez e admirar o teu equilíbrio. O ser humano bom que és não se extinguirá  nem se renderá às más almas que vagueiam ao nosso lado. Senhora perfeita, de aprumado juízo, apenas colherás os frutos doces desta viagem. Não conheces os frutos amargos por, simplesmente, não os mereceres. Ainda bem. Por mim nunca os conhecerás, porque antes de os tocares, estarei ao teu lado para, no teu lugar, me sacrificar tomando-os. Se um dia o mal te procurar, chegará a minha vez de te proteger e de me entregar por ti. Preciosa é a vida daqueles que amamos. Preciosa é a amizade que recebemos sem nada pedir. Gloriosa é a entrega mútua sem que qualquer acordo seja feito. Seres dona do mundo, é o mínimo do que o destino te reserva, porque, simplesmente, não te poderá pagar menos do que aquilo que dás. 

Neste teu dia de aniversário, onde qualquer presente parecerá miserável sob a tua luz, retribuo humildemente com estas palavras sentidas: Vais ser muito feliz. Digo-te eu!




4 comentários:

  1. Amiga do meu coração, não mereço nem metade destas tuas lindas palavras! As lágrimas escorrem a fio... Beijo do tamanho do mundo Elsa

    ResponderEliminar
  2. Olha... dizer o quê? Pois não sei! Sei apenas que sim e que me parece muito bonito escrever-se os outros desta maneira tua. Deixou-me bem. Obrigado.

    Nuno Camelo

    ResponderEliminar
  3. Só posso dizer uma coisa, AMEI!!! Do fundo do coração...
    Que bem q escreve a nossa Inês... ;)
    Beijocas****

    ResponderEliminar
  4. Só li agora mesmo! Ainda bem! Hoje precisava de me animar um bocadinho... LINDO!!!

    Mauro

    ResponderEliminar