quinta-feira, 11 de outubro de 2012

O beijo que não me deste


 desenho de Miguel-Manso aqui...



O beijo que não me deste era o mais desejado por mim.
O beijo que não me deste foi aquele com que mais sonhei.
O beijo que não me deste foi aquele que mais esperei.

Fechava os olhos e via-te lançado a mim.
Corrias com os teus lábios para os meus.
Mostravas todo esse amor sem fim.

O beijo que não me deste queria eu que acontecesse.
O beijo que não me deste existiu porque não o querias.
O beijo que não me deste aconteceu por não ser eu quem vias.

Imaginavas-me noutra pele e deixava de ser eu.
Vias a mulher por quem morreste de amores.
Vias a mulher por quem a tua vida se fez num breu.

O beijo que não me deste trouxe-me lágrimas cinzentas.
O beijo que não me deste foi o mais triste dos meus dias.
O beijo que não me deste trouxe-me um mar de agonias.

Preenchi-te o vazio de quem um dia te abandonou.
Não me havias de amar sendo eu apenas quem sou.
Nunca estive à altura do amor que sentiste por quem te largou.

O beijo que não me deste irá para sempre em mim doer.
O beijo que não me deste também a ti fará sofrer.
O beijo que não me deste  desgraçou-nos o amor que nem chegou a florescer.




16 comentários:

  1. Perfeito!! O que todos sentimos ao sonhar alto de mais.. com algo que teima em não acontecer!

    Adoro ler-te, expressas exactamente o que tb penso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Patrícia.
      Costumo dizer que todos sentimos o mesmo, apenas uns conseguem expressá-lo e outros não, seja pela escrita, pela pintura, pela música...
      E é aqui que nos encontramos: onde uns escrevem e outros se descobrem.
      obrigada pela visita.
      Beijinhos.

      Eliminar
  2. Conheço quem, lendo este texto, pensaria estar a ver descrita a história de parte da sua vida.

    Quase tenho vontade de o mostrar.

    R.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Força!
      É mostrar.
      Creio que, em algum momento das nossas vidas, todos nos encaixamos nesta história.

      Bjs.

      Eliminar
  3. É tão real a tua escrita.Perdoe-me pelo que vou escrever, mas não a conhecendo intimamente tendo a presumir que estás a falar de algo que vives ou viveste.De fato, a tua sensibilidade toca-me profundamente.Admiro-te imenso! Márcia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá querida Márcia!
      Passei a vida a desejar beijos de quem não os queria dar.
      Na vida familiar, entre amigos ou no amor.
      Os beijos que não me deram foram sempre os que mais desejei.
      De algum modo significam conquista.
      Significam que barreiras se derrubaram.
      Vivo isso, já vivi e o futuro não me reservará apenas os beijos fáceis.

      Espero que esteja tudo a correr pelo melhor, aí desse lado ;)
      Bjs

      Eliminar
  4. Se te apetece um beijo, um carinho, um aperto, uma rasteira , uma bofetada ou dormir com alguém, porque é que não dizes? Há gente que não percebe à primeira e uma troca de olhares não chega! O não está sempre certo, tudo o resto são "ganhos".

    ResponderEliminar
  5. Esse beijo fica cravado na memória e no desejo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a minha memória parece construir-se apenas daquilo que não devia.
      Beijinhos para ti :)

      Eliminar
  6. Aquilo que nunca tivémos foi sempre o que mais desejámos! Poderá, alguém, não se rever neste poema?? :)

    Beijo pra ti amiga!

    ResponderEliminar
  7. Os beijos, mesmo os que não foram dados, são breves momentos. A nossa vida é feita mais de momentos do que de horas, mas também é verdade que há sempre o momento a seguir.

    Gostei do texto e da imagem.

    ResponderEliminar
  8. Resta-me, então, esperar o momento seguinte.
    E esperar, que a espera, valha a pena.

    ResponderEliminar