terça-feira, 29 de novembro de 2011

Receita do indivíduo que não existe

Porque considero que o homem ideal tem de ser como uma receita bem-feita. Irrepreensível, de fazer fechar os olhos. Com o equilíbrio perfeito dos extremos. Que seja mesmo de extremos. Como o sal e o açúcar. O 8 e o 80. O frio e o quente.


--- Receita comportamental para um indivíduo que não existe ---

Ingredientes:
Vai ser preciso…
- Que gostes de me levar à ópera ao São Carlos mas também consideres uma ida a Paredes de Coura;
- Que gostes de praia mas também gostes de fugir para a montanha;
- Que bebas imperial mas também aprecies um chá quente;
- Que nunca sejas preguiçoso mas, de vez em quando, também consideres um Domingo no sofá;
- Que gostes de viajar até Paris, mas também te divirtas num parque de campismo empoeirado;
- Que invistas num par de ténis caros, mas também saibas o gozo de andar de chinelos;
- Que me acompanhes no sushi, mas também não te negues a uma bifana;
- Que gostes de mim como acordo, mas também me elogies quando me arranjo;
- Que gostes de dormir agarrado, mas percebas que às vezes também preciso de espaço.

Preparação:
Agarrar num corpo e meter tudo lá para dentro. Misturar bem. Abrir um sorriso. Não colocar travões. Apaixone-se. Deixe-se amar. Misturar tudo. É inevitável levar a forno bem quente. Cuidado ao desenformar… para não partir.





12 comentários:

  1. Pá, eu conheço uns quantos gajos que encaixam nessa descrição (se bem que pelo menos um deles não é hetero). Acho que tu é que não sabes conhecer pessoas.

    ResponderEliminar
  2. Querido T,
    pelo que percebi, até agora, vivemos na mesma cidade... e eu ainda não conheci nenhum desses "gajos".
    E ainda bem que nós também não nos conhecemos porque a coisa não ia correr bem :)
    Quando é que vais para de me insultar?
    Sou uma pessoa difícil. E depois? Tu não és?

    ResponderEliminar
  3. Não era um insulto, nem era com intenção de ser percebido como tal. E se não é a primeira vez que insultei, a(s) anterior(es) também não foram intencionais. Passarei a ficar calado.

    ResponderEliminar
  4. Sou tua fã muito por culpa do teu mau-feitio.
    Não fiques calado porque gosto de te ter por cá.
    Sou eu que sou fraquinha de espírito :) Não me podem dizer nada.
    Fazemos as pazes?

    ResponderEliminar
  5. Parece-me que não existe, ou se existe nunca vi nenhum (a não ser sob efeito de paixão assolapada que aí fico cegueta), ou então... não tive o devido cuidado ao desenformar. Provavelmente nesta encarnação já não chego a qualquer conclusão sobre o assunto. Bj

    ResponderEliminar
  6. Eu acho que eles estão por ai. É só criar algumas circunstâncias e estes pontos que referiste acontecem por si. às vezes temos de nos deixar ir e ver no que dá. sem pré requisitos!

    ;) besos keep the good work

    ResponderEliminar
  7. o desenformar é que deve ser o cabo dos trabalhos. os ingredientes até nem são complicados de arranjar. só assim de repente conheço um ou dois que são assim. vais ver que aparece... :)

    (e desenforma-o com cuidado, já agora... :) )

    ResponderEliminar
  8. Se existem quero as moradas e números de telefone :)
    E já agora que sejam solteiros e heteros... assim começa a ficar complicado, não é? :))))

    ResponderEliminar