segunda-feira, 16 de abril de 2012

Ectoesperma



Ectoplasma (do Grego "ektós": por fora + "plasma": molde ou substância), na acepção da parapsicologia, designa supostamente uma espécie de vapor esbranquiçado que sai do alegado Psíquico (médium), mais frequentemente pela boca, mas que pode sair por qualquer parte do corpo. É também supostamente sensível a determinados impulsos, se exterioriza a partir do corpo de determinados indivíduos com características especiais (Psíquico), permitindo a materialização de corpos humanos distintos daquele de onde saiu ou de membros tais como mãos, rostos e bustos (ectocoloplasmia - formação de apenas partes ou membros do objeto ou coisa materializada). Não existem evidências científicas que corroborem sua alegada existência e nenhuma prova foi apresentada que desse sustentação a afirmação de fé.

in Wikipédia


Esperma (do Português "esprema": por fora + "verga": molde ou substância), na acepção da minha psicologia designa, supostamente, uma espécie de líquido esbranquiçado que sai do alegado físico (do teu) e, mais frequentemente, pela minha boca, mas pode sair por qualquer parte do corpo. É também, supostamente, sensível a determinados impulsos, se exterioriza a partir do corpo de determinados indivíduos com características especiais (tu), permitindo a materialização de corpos humanos distintos daquele de onde saiu ou dos teus membros tais como as mãos, rostos, e bustos (excitação - formação de apenas partes ou membros do objecto ou coisa materializada). Não existem evidências científicas que corroborem sua alegada existência e nenhuma prova foi apresentada que desse sustentação a afirmação de fé.

in Dias Cães



A minha fé vem quando me ajoelho perante ti. Num ápice acredito em todos os santos, divindades e bruxos que te colocaram no mundo. A minha fé vem-se quando tu te vens dentro de mim ou à mercê das minhas ordens. Vem-se, quando, de joelhos, te fazes enorme como Deus à boca das minhas preces. Quando te rezo de maneira apertada e convicta. A minha fé e a tua vêem-se quando eu insisto em orar e tu fechas os olhos de vontade. Vês fantasmas e corpos estranhos no meu próprio corpo. Deliras comigo como se de uma possessão se tratasse. Receias que afinal eu não seja nada além da sugestão do teu desejo. O medo apodera-se de ti quando equacionas a possibilidade de eu ser um espírito materializado. Quando pensas que o teu líquido sagrado se espalhará em desperdício pela atmosfera deste mausoléu. Quando pensas que a tua imaginação te deixou sozinho entregue a um punhado de esperma prestes a explodir num vazio. Forças-me a boca para ganhares realidade e garantires que o teu licor não morrerá numa qualquer esteira. Obrigas-me a mostrar corpo de carne para teres a certeza que não é num vácuo onde te esvaziarás. Queres que o meu corpo real acolha o teu esperma transcendente com gemidos e orações, de joelhos ou de boca mas com toda a devoção.
Acabas a perceber que é o teu esperma que gera espíritos dentro de mim. Morres a saber que eu nunca existi além da tua imaginação. Desesperas-te ao compreender que não foste o único a quem de joelhos rezei.






8 comentários:

  1. Néctar dos deuses..

    Intenso..

    Gostei..

    Beijos

    ResponderEliminar
  2. O delírio dos homens: iludirem-se que são os únicos neste momento.
    Gostei imenso! bj

    ResponderEliminar
  3. Querida Dias Cães... deixaste até com vontade de ir rezar agora mesmo...

    (adoro a tua escrita erótica. a serio. consigo senti-la, percebes? altera me o corpo ;)

    obrigada.

    beijo, nAnonima

    ResponderEliminar
  4. Pobre de espírito daquele que viver na convicção que a "Fé" só tem lugar na sua paróquia...

    Ámen!

    ResponderEliminar
  5. Vem, vem ao meu blogue ajoelhar e abrir a boca, mulher de pouca fé. Vem recebe a comunhão para te purificares por dentro.
    Enquanto ta dou, colocando-a na tua língua, acariciar-te-ei os cabelos, abençoando-te.
    E tu dirás: "Sim meu padre, dá-me todo esse teu grande espírito-santo, salva-me!" :)

    ResponderEliminar
  6. E se eu me ajoelhar perante ti, interessa-te saber que não foste a primeira?

    ResponderEliminar