quarta-feira, 20 de junho de 2012

Um dia. Fomos um.




Houve um dia em que vivemos tudo.
Vivemos tudo apenas naquele dia.
Eu fui tua.
Tu, irremediavelmente, meu.
Um dia.

Vivemos juntos.
Caminhámos abraçados.
Beijámos os lábios.
Adormecemos lado a lado.
Acordámos um só.

Olhei-te para lá dos olhos.
Tu viste-me o fundo.
Eu disse-te palavras sem som.
Dei-te o corpo à paixão.
Deste-me o teu amor no silêncio.
Por dentro gritámos.

Tocámos a nossa pele em tempo lento.
Dedilhaste colcheias até ao meu coração.
Balbuciei-te gemidos de lábios rendidos.
Ofeguei choro de emoção.
Disse-te tudo sem falar.
Pousei-te o olhar.
Não fugiste.
Avançaste em mim.
Eu inspirei.
O mundo dissipou-se.

Demos mãos e sorrisos.
Gargalhámos para o ar.
Lambuzámos os rostos.
Contemplámos as expressões.
Entregámo-nos aos minutos.
Esperámos nunca acabar.

Corremos juntos.
Nadámos nus.
Voámos alto.
Caímos duro.
Sofremos cortes.

Bifurcaram-se os caminhos.
Ficaram negros os olhares.
Pesaram-nos os pés.
Travaram-se as pernas.
O coração queria voar.
Não voou.

Eu olhei-te com dor.
Tu disseste apenas um som.
Não entendi a palavra.
Senti em ti o pesar.
Acenaste ao amor.
Foste em desespero.
Avancei a desmaiar.
Afastámo-nos dois.
Já não éramos só um.




[Informação adicional para os leitores com limitações auditivas: Coloque as mãos sobre as colunas de som. A música é intensa e emocionante, tal como nós a ouvimos. Mas trata-se apenas de uma melodia. Esta música não tem letra. O texto é de minha autoria, não se tratando da transcrição da letra da canção, como já me foi questionado. Fechem os olhos. Usufruam do seu ritmo e da sua intensidade. Aqui não são precisas palavras.]



4 comentários:

  1. É verdade, não são precisas palavras para escutar a melodia, mas os olhos, esses, devem estar bem abertos para que a leitura seja atenta!
    E quem já não foi dois, num?
    Um beijo nostálgico!
    Raul

    ResponderEliminar
  2. Adoro Sigur Ros, apesar de muita gente me dizer que parece que estão a matar gatos.

    ResponderEliminar