26.12.12

O teu coração é de louça




Por vezes o teu coração quebra-se.
Não se quebra de dor. Não se quebra de perda.
Não se deixa sofrer pela ausência de ti mas pela presença sofrida que és.
O meu coração quebra-se também por não conseguir concertar o teu.
Bem vês, bem sabes, que o meu coração se desmancha em cacos de louça triste, quando o teu chora as peças soltas que não consegue concertar dentro de ti.
Queria eu poder colar-te os cacos. Queria eu que esses estilhaços se aguçassem antes dentro de mim. 
Se lançar-me de asas abertas sobre ti te salvasse a vida... Tantos bateres de asas teria eu já consumado...
Quantas peças teria eu juntado...

Mas temo que ao bater as minhas asas contra as tuas, te quebre ainda mais a porcelana fina de que se revestem os teus sentimentos.
Receio bem que, o bem que te quero, te roube aos poucos o ar que precisas para poderes abrir asas e voares sozinho.

Diz-me, meu amor, como posso eu salvar-te dessa infelicidade que alimentas dentro de ti, sem te invadir e tocar o coração?



10 comentários:

  1. Desculpa comentar aqui mas pelo comentário que li no blog da Pólo, julgo teres sido tu que me enviou o postal este Natal :)
    Uma vez mais obrigada :)
    (só pretendia mesmo apresentar-me)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana!
      Lamento mas não fui eu. E lamento, sobretudo, porque não recebi o meu postal.
      A pessoa que recebeu o meu já se acusou e até me enviou um de volta (foi o meu consolo).
      Entretanto fui ver o teu blog e confirmei que não era o meu postal.
      Talvez para o ano... pelo menos sempre tinha a certeza que o recebia :)

      Mas sê bem-vinda e espero ver-te por aqui mais vezes.

      Bjs

      Eliminar
    2. O meu blog anda ao abandono há um ano:) O postal que lá está é o do ano passado :)
      De qualquer forma, uma vez que enviei um postal de volta e tu te acusaste, pensei que tinhas sido tu :)

      Eu acredito que ainda vais receber o teu postal :)

      E sim, vou voltar mais vezes :)

      Beijo

      Eliminar
  2. A fragilidade de que somos feitos... As limitações dessa fragilidade...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até os corações de aço se vergam.
      Até os de diamante se riscam.

      Bjs

      Eliminar
  3. Não consigo digerir tanta inspiração logo assim pela manhã, brb café!

    ResponderEliminar
  4. Identifiquei-me bastante com este texto, tenho um amigo a quem amo e por quem sinto o mesmo.

    Sofro com o seu sofrer e não posso fazer nada.

    Um grande beijinho natalício,
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijinho Ana e que este ano seja excelente para vocês.

      Eliminar
  5. Tu és uma anjo! Tua sensibilidade comove-me imenso. Lindo texto.Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Márcia!
      Curioso falares em anjo :)
      Vais perceber do que falo quando aí chegar o correio.

      Beijinhos para ti e para o Vitorio.

      Eliminar