terça-feira, 29 de julho de 2014

O Twin Peaks é para meninos




Muito medo.

É o que me lembro do Twin Peaks.

Sei que, numa época em que só existiam dois canais, não havia grande filtro naquilo que se via na televisão lá de casa. Por essa razão vi coisas tão didáticas para uma criança de dez anos como o Twin Peaks.
Na realidade, não me lembro de imagens em particular ou, até, da trama, mas aquela musiquinha diabólica... por céus... aquilo mete-se no cérebro e, por isso, mantive sempre uma memória muito sombria desta série. Digamos que o nome Laura nunca seria uma hipótese para meter a uma filha minha. Há uma imagem de carnes retalhadas de tom azulado que associo ao nome Laura, e que não me apetece nada perpetuar.

Mas ontem, tantos anos depois de meter o Twin Peaks e a Laura Palmer arrecadados num canto qualquer empoeirado da minha memória, li uma notícia que veio ressuscitar aquilo tudo.
Ontem, ao ler n'O Público que o David Lynch se preparava para revelar algumas imagens inéditas da Laura Palmer, senti o mesmo calafrio a subir-me pela coluna. Verdade: a imagem que acompanhava o artigo, da Laura Palmer meia-morta meia-viva, também não ajudava. Mas depois fiquei a contorcer-me com aquela curiosidade sinistra e lá fui procurar uns resumos de uns episódios, o trailer, e umas imagens que me avivassem a memória (para quê, pergunto eu?) e tive, exactamente, a mesma sensação de desconforto. É alucinação a mais para a minha fraca resistência cardíaca.
Por isso, David Lynch, não tenhas pressa rapaz.

Nos "entretantos", enquanto eu me mentalizava que aquela séria, na verdade, não exibia nada que não tivesse já acontecido na realidade e que até se aproximava de alguns homicídios que de vez em quando aparecem nos noticiários, eis que ando umas páginas à frente e lá estava isto...
http://www.publico.pt/mundo/noticia/adolescente-japonesa-detida-por-suspeita-de-decapitacao-de-colega-de-escola-1664526 

E pensei para comigo: "Não. Nunca haverá imaginação nem enredo de telenovela que supere a realidade".


O mundo está mesmo para a acabar, não está?
Muito medo devo eu ter mas do que se anda a passar nas ruas e não na televisão.
Afinal, vai-se a ver, e o Twin Peaks era para meninos não era?



1 comentário:

  1. Sim. Ainda ontem se dava o Holocausto... hoje Gaza, amanhã quem sabe.... o mundo ainda agora começou.

    ResponderEliminar