terça-feira, 28 de abril de 2015

São só maminhas senhores...




Muita gente não saberá que, além de escrever aqui, no Dias Cães, escrevo em mais de uma dúzia de blogs.
Um deles é o Black Velvet e surgiu em parceria com um amigo por quem nutro uma profunda admiração e estima, o Jon Gavin.
Resumidamente, o Black Velvet aliava a escrita à fotografia mais direccionado a um público adulto e com tendência a gostar de calores e, durante pouquíssimos meses, fartamo-nos de curtir o Black Velvet. 
O Jon dava o mote com a fotografia e eu fazia um texto para ela.
A coisa correu bem no tempo que tinha correr, depois começou-nos a faltar a inspiração, a paciência e os recursos (estamos separados fisicamente por 400km) e deixámos de fazer publicações no blog.
Tendo em conta o tipo de fotografias e o público-alvo do Black Velvet, sempre primámos pela descrição e confidencialidade, sobretudo, em relação à identidade das pessoas que delas participavam, ainda que de sua livre e espontânea vontade.

Porém... hoje fomos surpreendidos por uma censura, vinda do lado mais improvável: 
De uma das modelos fotografadas.

Como não estou para me chatear com isto, ainda que o Black Velvet me estivesse no coração por diversas razões, decidi dar ouvidos ao Jon e acabar com tudo.
O Black Velvet vai encerrar.

Tendo assinalado o seu nascimento neste blog em 2012, porque me orgulhei dele, acho que devo anunciar o seu encerramento com o mesmo orgulho.

Fica o comunicado que deixei na página de Facebook do Black Velvet (entretanto também ele censurado) na esperança de que o mundo se torne um lugar melhor.



"Comunicado:

Ao fim de 3 anos do início do projeto Black Velvet, e mais de 1 ano decorrido sobre o seu fim, aconteceu algo inesperado e que, pessoalmente, me choca: fomos censurados.

Conforme sempre deixámos claro na página do blog em "Direitos de Autor e Advertências", todas as fotografias foram publicadas mediante autorização dos seus intervenientes, com a condição de as mesmas serem utilizadas exclusivamente pelo seu autor, designadamente no Black Velvet, sem especificar páginas ou sítios onde este publicasse.

Hoje, surpreendentemente, um dos participantes denunciou a nossa página por conter nudez. A sua própria nudez.
Aquela a que se expôs numa sessão fotográfica, como a sua concordância e livre participação, e cujo trabalho final concordou partilhar sem que fosse revelada qualquer informação sobre a sua identidade, acordo que cumprimos escrupulosamente.
Decorridos 3 anos desde a publicação da sua fotografia, vem denunciar a mesma por nudez.

Não foram, em circunstância alguma, associados nomes, rostos ou dados pessoais que revelem a identidade de cada uma das pessoas presentes nas fotografias onde existe nudez. Eu própria desconheço essas pessoas, pelo que me seria impossível, sequer, associar partes do corpo às mesmas.
Por essa razão, evidente, removi, o que vim a perceber depois, ser a fotografia errada: Os seios em questão eram outros.
Não me foi, sequer, dada oportunidade de remover a fotografia certa por não me ter sido indicada de qual se tratava.

Após uma escassa troca de mensagens com o queixoso, em que acedi remover a fotografia que julguei sua, fui surpreendida por um inquérito do Facebook sobre a minha conduta e sobre os conteúdos deste blog, tendo ficado inibida na minha página pessoal de fazer publicações por estas representarem risco para a moral e bons costumes.

Não me choca que a pessoa em causa tenha mudado de ideias, se tenham arrependida, e se sinta agora exposta.
Choca-me que a nudez seja alvo de censura.
Choca-me que as próprias pessoas se censurem e vivam desconfortavelmente com elas, o seu passado, a sua vida e o seu corpo.
Choca-me que se continue a colocar fim à liberdade de expressão, seja sob que forma for.
Chocam-me, sobretudo, os falsos moralismos.

Após discussão entre mim e o Jon Gavin, autor das fotografias e co-autor do blog, decidimos por fim ao Black Velvet que, de resto, se encontrava sem publicações há mais de 1 ano e sem pretensões de ser reaberto.

Como co-autora deste projeto vejo-me no direito de mostrar o meu desagrado com esta situação e por ter de encerrar um projeto que também foi meu, e onde coloquei muito do meu tempo e dedicação, porque terceiros assim o entenderam e não irão dar tréguas enquanto não for satisfeita a sua vontade.

A minha vida segue para além do Black Velvet, a minha felicidade não se esgota nele e, como tal, cedo à pressão do seu encerramento.



Nunca pensei dizer isto mas hoje:

Je suis Black Velvet.



Até sempre, 

Dias Cães
(autora dos textos do Black Velvet)"



3 comentários:

  1. Ora bolas, só no fim é que tenho conhecimento do Black Velvet.
    Fecha-se uma porta, abre-se uma janela!
    Mais projectos virão de certeza. :)

    ResponderEliminar
  2. Nem as postagens antigas poderemos ver, Inês?
    Sinto muito.
    Então a encontraremos aqui no Dias Cães e no Phrasiarium, talvez?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Renata!
      O Black Velvet foi definitivamente encerrado e não haverá acesso a qualquer publicação deste.
      Continuamos por aqui e, ocasionalmente, pelo Phrasiarium.
      Bjs

      Eliminar