segunda-feira, 8 de abril de 2013

Um minuto





Tens um minuto para decidir a tua vida.

Esse minuto parece um segundo e tu, em vez de decidires, perdes tempo a pensar no tempo a passar.
Giras os olhos de um lado para o outro com a velocidade com que devias decidir mas não decides nada.
Pensas nos prós, pensas nos contras e num segundo só vês prós e no segundo seguinte só vês contras.
Nesse minuto perguntas-te o que pensas e perguntas aos outros o que eles decidiriam por ti.
Uns dizem que sim, outros dizem que não e tu agarras-te aos que também não sabem decidir, como tu.
Pensa no que tens, no queres ter, no que sonhaste, no que desististe e no que tens medo de perder e no que tens medo de ter.
Percebes que afinal não queres assim tanto as coisas que pensavas querer com toda a certeza e que outras coisas que nunca tinhas equacionado se tornaram o alvo a atingir.
Vês metas perto, o futuro a acontecer e um passado a apagar-se sem que tu queiras que ele se apague.
Começas a perceber que a vida não é o querias e não vai ser o que te vendem. Que não é feita de decisões, de sins ou nãos tomadas num minuto mas é vivida de dúvidas constantes que perduram por anos e anos.
O dia em que decidires aquilo que te pediram para decidires num minuto, vais dizer que já decidiste, que já sabes o que queres, que tens a resposta, que estás seguro e que sabes o que te faz feliz.
Quando tu decidires o que queres para ti, irão responder-te que esse minuto, agora, já passou.




2 comentários:

  1. Adorei, identifiquei-me mais do que gostaria na verdade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário e obrigada por me dar a conhecer o seu blog.
      Vou explorar melhor.

      Eliminar