terça-feira, 15 de abril de 2014

Do sangue fugido

Violeta Bubelyte



Podia não ter doído,

Mas fizeste doer.

Preferiste a distância,

À facada.

Ousaste a dor,

Sem armas,

Mutilaste-me com a solidão.

Fugiste de nós,

Do sangue que temos,

Fugiste de mim,

Das memórias que jorro.

Deixas-me órfã,

Desse sangue e de amor,

De alma,

Fugiste do lar.

Evadiste-te de nós,

Para não te encontrares.

Fugiste de ti,

Deixaste-me a

Sós.




2 comentários:

  1. Até a imagem corresponde... não sei se diga que gosto do texto, ou se fique triste por me identificar com ele... de qualquer forma, parabéns à Autora, porque está de facto maravilhoso.
    Beijinhos
    Vanessa

    ResponderEliminar