domingo, 19 de fevereiro de 2012

Escrita Online...

E chegou ao fim a primeira edição do Concurso de Escrita Online que decorreu durante 6 semanas.
Apesar de ter sido quem venceu mais desafios semanais... a pontuação não chegou para vencer a final no Concurso de Escrita Online. Podem reler os textos vencedores do "Dias Cães" aquiaqui e aqui.
Mais um 2º lugar.... 
Posso ficar um bocadinho amargurada, posso?

Para terminar deixo o texto "Quero beijar-te em Paris" em resposta ao último desafio: "Exponha ao júri as razões pelas quais deve vencer o concurso".

Fui lamechas, tive o retorno. Abri o coração, levei a machadada. Quis viajar até Paris, condenei-me a não sair daqui.




Quero Beijar-te em Paris





A razão para querer vencer é mais que antagónica a toda a minha participação aqui: Porque desta vez quero ver a cores, em vez de ver a preto e branco.

Como puderam constatar ao longo destas semanas, o meu lado sombrio suplantou qualquer veia romântica que devesse ter. Este meu lado insaturado não ganha cor porque as minhas emoções há muito que estão trancadas num coração seco. Desidratado como se tivesse sofrido uma dissecação. Porque há muito me impus não abrir as artérias a sorrisinhos e alegrias.
Contudo, há algumas semanas atrás, este inútil coração, foi arrombado e rasgaram-lhe os caminhos até ao seu interior. Deixei entrar vida. Ganhou cor. Perdi-me de amores. O meu coração conquistou outro pelas palavras, ainda antes de essa pessoa me conhecer o rosto. Ainda antes de trocarmos o primeiro olhar. Mesmo antes de conhecermos a voz um do outro.
Quando ele me conheceu as palavras, e eu lhe respondi com escrita, referi-lhe a indecisão em me inscrever neste concurso. Ele foi o empurrão. De seguida demos o passo de nos conhecermos pessoalmente. Chegámos à conclusão que as palavras foram poderosas mas havia muito mais em comum.
Por alimentar todos os clichés românticos que tem em si, e por me querer contaminar com os seus sonhos, prometeu-me amor às custas de eu me revelar ao mundo, com as palavras pelas quais se apaixonou.
E isso colocou-me aqui. Isso e a promessa de amor que se lhe seguiu. A promessa de me colorir a vida através da boca que não consegue proferir as palavras que as mãos melhor escrevem. Quer fazer-me acreditar que a paixão começa no coração, passa pela boca e explode no cérebro.
Quer mostrar-me que já entrou pelo coração e agora quer prosseguir caminho até ao patamar seguinte. Quer conquistar-me os lábios. Quer que eu conquiste uma vitória neste concurso através dos seus lábios.  
Quero mesmo ganhar porque, inesperadamente, me sussurrou ao ouvido num tom lânguido:
- “Se ganhares prometo-te: Beijo-te em Paris”.

Por isso, para mim, não se trata apenas de obter um prémio. Trata-se de ganhar cor. Trata-se de dar uma oportunidade à minha vida. Trata-se de conhecer, pela primeira vez, o amor para além das palavras.




2 comentários:

  1. :)

    Além de ter sido a concorrente que venceu mais desafios, foi a pontuação mais alta de todo o concurso: 57 valores. PARABÉNS!

    INFELIZMENTE o último texto ficou aquém das expectativas. :(


    (Pode ficar amargurada. Um dos membros do juri - era a sua preferida - também ficou. Depois de passar a amargura, pode ir à luta outra vez: II COE a caminho! Boa sorte...)

    ResponderEliminar
  2. Fiquei amargurada mesmo... mas ninguém é responsável pelo último texto além de mim.
    Falhei. É aceitar (daqui por 1 ano ou 2 :)) e seguir em frente.
    Foi um prazer participar.
    Obrigada à organização.

    ResponderEliminar